Newsroom

Rumo a um tratamento oncológico sustentável: o jeito do C/Can

October 9, 2020

Rumo a um tratamento oncológico sustentável: o jeito do C/Can

“Lidar com problemas complexos, como o acesso a um tratamento oncológico de qualidade, exige mudanças sistêmicas que só podem ser obtidas através do compromisso e confiança de longo prazo. O C/Can está empoderando as partes interessadas das cidades para criar, apropriar-se e manter as mudanças implementadas no tratamento oncológico”. Silvina Frech, Líder de Sustentabilidade do City Cancer Challenge.

Nesta quarta história da série “Inside Story”, destacaremos alguns dos nossos aprendizados e os princípios do plano de sustentabilidade das cidades para ajudar a garantir que as soluções relativas ao tratamento do câncer implementadas nas cidades participantes no C/Can tenham um impacto duradouro.

 Como o C/Can apoia os líderes locais para garantir que as mudanças sejam duradouras?

No modelo do C/Can, as cidades recebem apoio durante um período de dois anos para reunir os principais interessados, identificar as lacunas prioritárias e desenvolver soluções locais com o apoio de uma rede de parceiros e especialistas. Uma cidade sustentável é aquela que “possui” a abordagem multissetorial inovadora do C/Can, integrando-a em suas estruturas locais e usando as capacidades locais desenvolvidas com o apoio do C/Can para continuar construindo sistemas de saúde resilientes no longo prazo para o tratamento oncológico.

  1. Foco no plano de sustentabilidade da cidade

A obtenção de mudanças marcantes no tratamento do câncer leva tempo. Algumas das soluções desenvolvidas com o apoio do C/Can podem ser de curto prazo e realizáveis ​​com poucos recursos, enquanto outras requerem compromissos de financiamento de longo prazo, desenvolvimento de capacidades e mudanças nas políticas públicas. Como o contexto político e os recursos financeiros mudam constantemente, o planejamento estratégico de sustentabilidade é fundamental para garantir que as mudanças positivas obtidas no tratamento oncológico perdurem ao longo do tempo.

“Proporcionar apoio financeiro para a capacitação e assistência técnica e, depois não conseguir manter as mudanças que foram implementadas e continuar a desenvolvê-las, seria um enorme desperdício de recursos.”, afirma a Dra. Vilma Irazola, Diretora do Departamento de Pesquisa de Doenças Crônicas do Instituto de Eficácia Clínica e Política de Saúde (IECS) da Argentina.

  1. Apoio a uma abordagem de fortalecimento dos sistemas de saúde

 A fragmentação dos sistemas de saúde em países de renda baixa e média constitui uma barreira importante para o acesso a um tratamento oncológico equitativo e de qualidade. É por isso que o processo das cidades do C/Can ajuda a identificar e apoiar ações que estabelecem melhorias sustentáveis nos pilares básicos [1] de: infraestrutura, serviços, acesso a medicamentos e tecnologias básicas, profissionais de saúde, sistemas de informação, financiamento da saúde, liderança e governança para a prestação de serviços oncológicos de qualidade, assim como para o fortalecimento da qualidade e resiliência do sistema em geral.

  1. Fomento de uma mentalidade de sustentabilidade

A experiência nas primeiras cidades participantes no C/Can mostrou a importância de desenvolver uma mentalidade de sustentabilidade entre as partes interessadas da cidade desde o início da participação. Ter uma visão de longo prazo ajuda a manter o impulso e o entusiasmo pela iniciativa, compartilhando a convicção e o compromisso entre os campeões da cidade de que “estamos nisso juntos e através de uma longa jornada”. Em cada etapa do processo do C/Can, os líderes das cidades são incentivados a adotar e manter um foco estratégico nos principais elementos que contribuem para mudanças sustentáveis:

  • Apropriação e responsabilidade da cidade

No modelo do C/Can, o planejamento e a implementação da sustentabilidade nas cidades são dirigidos por um grupo multissetorial de líderes locais, coordenado por uma organização da sociedade civil ou por um consórcio de organizações públicas, privadas e da sociedade civil.

Ao liderar seu próprio plano de sustentabilidade, incorporando-o ao longo do processo, as cidades se apropriam e se responsabilizam pelos projetos, processos e parcerias, e estão bem posicionadas e comprometidas para continuar promovendo a mudança depois do período de apoio inicial do C/Can.

Em Cali, o ProPacifico está trabalhando junto com o C/Can como o parceiro de sustentabilidade local responsável por dar continuidade à implementação dos projetos do C/Can, reunindo as partes interessadas dos diferentes setores e integrando o processo às prioridades do governo local.

“Mais de 4.500 pacientes se beneficiarão anualmente da parceria entre o C/Can e o ProPacifico, que oferece uma oportunidade única para Cali e para a região do Valle del Cauca para que continuem trabalhando juntos para o benefício de todas as pessoas com câncer e suas famílias.”, María Isabel Ulloa, Diretora Executiva do ProPacifico.

  • Compromisso político e um contexto político favorável

O C/Can incentiva os líderes locais a implementarem mudanças baseadas numa visão compartilhada sobre o tratamento oncológico de qualidade, inclusive conseguindo apoio político e intercedendo para que o câncer ocupe um lugar de destaque na agenda política do país. O C/Can também promove o alinhamento dos esforços com os planos nacionais ou regionais de controle do câncer e a legislação existente, de modo que as mudanças sejam respaldadas e apoiadas por um marco sólido de políticas públicas.

“O C/Can apoiou o fortalecimento do Programa Nacional de Controle do Câncer do Paraguai (NCCP) para resolver as principais lacunas identificadas pelas partes interessadas da cidade. Este novo e inclusivo modelo de trabalho conjunto estabeleceu as bases sobre como continuarmos construindo a partir do trabalho realizado pelo C/Can, para causar um impacto real na saúde da nossa população.” Dra. Alicia Pomata, Diretora do NCCP do Paraguai, Instituto Nacional do Câncer, Ministério da Saúde e Serviços Sociais.

  • Aprendizagem e intercâmbio de conhecimentos através da Rede de Cidades do C/Can

O intercâmbio de experiências entre as cidades que enfrentam desafios semelhantes ajuda a fortalecer a capacidade local e a difundir soluções inovadoras. O C/Can está trabalhando com todas as cidades que participam atualmente da iniciativa para desenvolver a capacidade local necessária para realizar um monitoramento e avaliação sólidos e sistemáticos para analisar os progressos em relação à sustentabilidade; e o intercâmbio de valiosos conhecimentos e aprendizagens sobre modelos de sustentabilidade eficazes e locais.

“À medida que o número de cidades e parceiros do C/Can for crescendo, o foco na aprendizagem coletiva através de uma rede global que possui uma visão compartilhada será fundamental para inspirar o compromisso de longo prazo e a sustentabilidade dos esforços para melhorar o tratamento oncológico nas cidades”. Rebecca Morton Doherty, Diretora de Política e Impacto Global do C/Can.

Qual será o próximo passo?

 Este mês, o C/Can está lançando uma ferramenta prática de orientação para suas novas cidades, Leon e Greater Petaling. O guia é um recurso para as partes interessadas locais liderarem o desenvolvimento e a implementação dos seus planos de sustentabilidade nas cidades, com exemplos de boas práticas das cidades do C/Can. Com base nas novas lições aprendidas nessas cidades, o modelo será aperfeiçoado e um kit de ferramentas de sustentabilidade integral será desenvolvido em 2021 para apoiar as futuras cidades.

 

[1] https://extranet.who.int/nhptool/BuildingBlock.aspx